Após decisão de ministro do STF, defesa pede que Lula seja solto

Lula está preso na carceragem da Polícia Federal em Curitiba, no Paraná, desde abril

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu à Justiça que ele seja solto, após decisão do ministro Marco Aurélio Melo, do Supremo Tribunal Federal (STF), que manda libertar presos após condenação em segunda instância. Na liminar, Marco Aurélio diz que só devem permanecer presos os condenados com processo já com trânsito em julgado, sem recursos pendentes.  A petição foi apresentada às 14h48 (horário de Brasília).

Lula está preso na carceragem da Polícia Federal em Curitiba, no Paraná, desde abril.  Ele cumpre pena de 12 anos e 1 mês de prisão pela condenação no caso do triplex em Guarujá (SP), pelo qual foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ele nega as acusações.

Para a defesa de Lula, é “imperioso dar-se imediato cumprimento à decisão emanada da Suprema Corte”. Os advogados apresentaram também um requisito de dispensa do exame de corpo de delito. Até o momento, não houve nenhuma decisão sobre o pedido.

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, se manifestou em rede social sobre o pedido da defesa. “Acabamos de peticionar a solicitação do alvará de soltura para Lula. Abrimos mão do exame de corpo de delito #LulaLivre HOJE”, escreveu a política.

Compartilhar