Suspeito de latrocínio contra servidor gravou vídeo incriminando o padrasto

Gabriel dos Santos passou três meses foragido; segundo a família, o preso nega o crime

Preso em Santa Catarina na segunda-feira (19), três meses depois de ser apontado como o assassino do ex-assessor parlamentar Michel Batista Santana de Sá, 35 anos, Gabriel Bispo dos Santos, 22, desembarcou em Salvador nesta quinta-feira (22). O suspeito era considerado foragido da Justiça desde que foi identificado como autor do crime em 20 de agosto, três dias após o latrocínio.

Embora seja o principal suspeito e de já ter assumido, por meio de ex-advogado, a autoria do crime, o preso gravou um vídeo onde nega o latrocínio e acusa o pai adotivo, o empresário Maurício Lucas de Teive e Argolo – a quem ele atribui, ainda, uma ameaça de morte. O empresário chegou a ser investigado pela polícia. A informação foi passada pelo pai de Michel, o suplente de vereador Arnando Lessa, 65.

“Ele gravou um vídeo que foi passado para algumas pessoas. Nele, inclusive, diz que o conteúdo deve chegar a mim. Ele acusa o pai. Mas eu não vou falar nada sobre isso até que ele seja oficialmente ouvido pela polícia. Não sei se isso é uma estratégia dele, realmente não sei”, se limitou a dizer Arnando, acrescentando apenas que não chegou a ver o conteúdo.

Conforme o advogado Udson Dantas, ex-defensor de Gabriel e responsável pela defesa de Maurício – que é casado com a mãe do suspeito há mais de 20 anos -, o cliente recebeu o vídeo do filho adotivo há cerca de 30 dias.

Michel foi torturado e morto após anunciar carro na internet (Foto: Reprodução)

“Nós entregamos esse vídeo à polícia assim que recebemos. Imediatamente levamos ao conhecimento de doutor Delmar [Bittencourt, titular do Departamento de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP), responsável pela investigação]. O vídeo é uma tentativa de extorsão. Maurício está muito tranquilo, porque ele [Gabriel] só queria dinheiro, chantagem”, afirmou.

O advogado do pai de Gabriel disse, ainda, que ele ameaçou culpar a família, caso o pedido [dinheiro] não fosse atendido.

Apresentação
A SSP divulgou imagens de Gabriel desembarcando em Salvador, no final da tarde desta quinta-feira (22). Ele aparece vestindo uma camisa azul, a mesma que usa na foto divulgada pela Polícia Civil de Santa Catarina na segunda-feira, quando foi preso em Pomerode.

O suspeito chegou à capital acompanhado de equipes do DCCP. Em nota, a SSP-BA se refere a Gabriel como “autor do latrocínio (roubo seguido de morte) contra Michel Batista de Sá”, e não comenta vídeo. Em outro momento, pasta diz que “o criminoso participou do roubo seguido de morte contra Michel, no dia 16 de agosto deste ano”, sem citar, no entanto, se houve participação de outras pessoas.

A nota também informa que o suspeito passaria por exame de corpo e delito para, em seguida, prestar depoimento no DCCP, na sede da Polícia Civil, na Piedade. Gabriel vai ser apresentado à imprensa nesta sexta-feira (23), em horário ainda não divulgado.

CRONOLOGIA DO CRIME [POR ARNANDO LESSA]

  • Março: Michel anuncia carro na internet por R$ 73 mil
  •  Agosto: Michel e Gabriel se conhecem e passam a negociar veículo
  •  Agosto: Michel e Gabriel têm pelo menos quatro encontros no trabalho, na casa da vítima e em shoppings
  • 16 de agosto – Dia do crime

11h – Michel vai ao cartório com Gabriel
12h – Dupla sai do cartório, no carro de Michel [já transferido legalmente para Gabriel], e vai até o Salvador Shopping
13h – Michel encontra esposa para almoço em shopping. Gabriel se afasta do casal.
13h – Gabriel vai até a agência do Banco do Brasil e deposita R$ 59 mil em espécia na conta de uma mulher
15h – Michel e esposa, já com Gabriel, vão até estacionamento e transferem pertences do carro vendido para o veículo da mulher da vítima. Michel permanece no shopping para receber pagamento
15h30 – Gabriel apresenta o TED a Michel, que envia para o irmão [gerente de banco] e é alertado da falsidade do documento
16h – Imagens monstram Michel, Gabriel, ao lado do pai [Maurício] e do motorista [Itazil] saindo do Salvador Shopping no carro de Michel
16h30 – Vítima faz contato com a esposa e, em seguida, com pai. Michel afirma aos familiares que o comprador de seu carro sofreu um golpe e que ele precisa ajudar Gabriel a prestar queixa
19h – Gabriel aparece sozinho, em imagens obtidas por Arnando, descendo escadaria do Salvador Shopping
20h30 – Celular de Michel é desligado e família inicia buscas
21h – Michel é assassinado

  • 17 de agosto 

6h30 – Corpo de Michel é encontrado atrás do Shopping Paralela
10h30 – Carro da vítima é encontrado próximo ao estacionamento do Shopping Bela Vista

  • 20 de agosto

– Gabriel, por meio de advogado, confessa que matou Michel – sem revelar motivo – e garante vai se apresentar à polícia. Ele não aparece

  • 19 de novembro

– Gabriel é localizado e preso em Pomerode, Santa Catarina.

Detalhes
1. Segundo Arnando, nas imagens em que Gabriel aparece no Banco do Brasil, ele está acompanhado de um homem que não é Michel.
2. O rapaz aparece com camisa diferente da que está vestindo quando esteve no cartório com a vítima.
3. Arnando acredita que pai de Gabriel e motorista já aguardavam no shopping, após analisar horários de filmagens.
4. Arnando afirma que o filho devia estar rendido no carro com comparsas de Gabriel, enquanto suspeito principal fazia compras.
5. Ao receber mensagens de Michel, irmão afirmou que CPF que constava no TED era de uma pessoa de Goiânia e o alertou sobre golpe. Arnando acredita que a descoberta tenha despertado fúria de Gabriel.
6. Arnando ouviu de testemunhas, onde corpo foi encontrado, que tiros ocorreram por volta de 21h
7. O professor defende que o filho sequer viu o comprovante em nome da mulher, em valor que não corresponde ao anunciado por Michel na venda do carro. Que o depósito em dinheiro foi feito para Gabriel apenas para, posteriormente, ser usado como álibi.
8. TED enviado por Michel ao irmão tinha nome da vítima escrito errado
9. Polícia chegou a três mulheres que abrigaram Gabriel por meio de GPS de dois Iphones que o suspeito comprou no dia do crime com o cartão de crédito de Michel.
10. Arnando Lessa afirma que Maurício Lucas responde a processos por estelionato e roubo.

Compartilhar