‘DEM não discutirá troca de cargos com eventual governo Bolsonaro’

No entendimento de Neto, o chefe do Palácio do Planalto eleito tem que ter liberdade para compor seu futuro governo

O presidente nacional do Democratas e prefeito de Salvador, ACM Neto, disse, ontem, que seu partido não vai “discutir trocas de cargos ou favores” em um eventual governo de Jair Bolsonaro (PSL), que hoje lidera as pesquisas de intenção de votos na disputa contra Fernando Haddad (PT). O último Datafolha apontou que o capitão reformado tem 56% dos votos válidos contra 44% do petista. No entendimento de Neto, o chefe do Palácio do Planalto eleito tem que ter liberdade para compor seu futuro governo. “Posso garantir que não vamos sentar para discutir trocas de cargos ou de favores. Isso não vai acontecer. É decisão tomada. Caso algum quadro do Democratas venha eventualmente participar do governo de Jair Bolsonaro, será por decisão dele. Será decisão exclusivamente dele. O presidente eleito tem que ter liberdade plena para compor a sua equipe. Não deve sentar com partidos políticos para lotear e fatiar cargos. Se estou defendo isso no meu discurso, não posso na pratica fazer diferente”, afirmou, em entrevista à imprensa, durante ordem de serviço para as obras de requalificação da Avenida Sete de Setembro.

O democrata soteropolitano não descartou, de novo, a hipótese de sua legenda integrar o governo de Bolsonaro, mas ressaltou que “é cedo para falar” do assunto. “Se Bolsonaro ganhar, temos que saber que tipo de relacionamento o futuro governo vai querer estabelecer com o Congresso e os partidos políticos. O Democratas tem agenda com o futuro do Brasil. A gente quer que essa agenda possa avançar e queremos ajudar que o Brasil depois de domingo para superar essa crise, que já perdura há quatro anos. Esse é o nosso compromisso. Agora, de que maneira isso vai acontecer, se integrando a base ou não, isso eu não posso adiantar”, declarou.

Ontem, a imprensa nacional informou que os deputados federais Alberto Fraga e Pauderney Avelino, que não conseguiram se reeleger, são cotados para a eventual administração do capitão reformado. Além deles, o parlamentar Onyx Lorenzoni já foi confirmado como futuro ministro da Casa Civil. ACM Neto negou que o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), já articule para se manter no posto. “Tem se especulado muito na imprensa. Conversado não. Essas conversas vão começar a acontecer a partir da próxima semana, sem dúvida”, pontuou.

No cenário local, o prefeito evitou falar sobre a permanência do deputado federal José Carlos Aleluia, que não conseguiu a recondução no pleito deste ano, na presidência do DEM da Bahia. “Não tratei deste assunto. Esse assunto não foi tratado hora nenhuma. Esse assunto vai ser tratado na hora certa. Salvo engano, o mandato atual tem validade é até abril do próximo ano. E não vou antecipar essa discussão. Não vou pautar por especulação”, afirmou. Em almoço com deputados federais e estaduais em Salvador, o ex-prefeito de Feira de Santana e ex-candidato ao governo da Bahia, José Ronaldo, foi lançado pelo parlamentar reeleito Arthur Maia (DEM) para assumir a presidência do partido no estado.

ACM Neto também não quis comentar a mudança na liderança do governo na Câmara de Salvador. Hoje, a chefia da maioria está com o vereador Henrique Carballal (PV), mas especula-se que Paulo Magalhães Júnior (PV), Lorena Brandão (PSC) ou Téo Senna (PHS) podem substituí-lo. “Não estive ainda com o vereador Carballal para tratar do assunto. Não parei para avaliar o assunto. Isso aí só a partir da próxima semana”, afirmou o chefe do Palácio Thomé de Souza.

Compartilhar