Venezuelanos refugiados no Brasil são levados para Alagoinhas

Salvador vai receber cinco estrangeiros nesta quinta-feira (25)

A crise na Venezuela trouxe 25 novos moradores para a cidade de Alagoinhas, no Nordeste da Bahia, e cinco para Salvador. Para escapar da crise que assola o país os venezuelanos, adultos e crianças, solicitaram refúgio e residência temporária no Brasil. Eles devem chegar na cidade nesta quinta-feira (25).

Segundo a Casa Civil, os estrangeiros estão com vagas de trabalho ou empregabilidade já sinalizadas. A viagem será feita em uma aeronave C-99 da Força Aérea Brasileira (FAB), com previsão de decolagem para as 8h (hora local) no aeroporto de Boa Vista e pousou às 14h45 na Base Aérea de Salvador.

Os preparativos para a viagem começaram por volta das 5h no abrigo Rondon 2. Depois de chegar na capital baiana o grupo seguem de ônibus para Alagoinhas, a cerca de 120 km de Salvador.

Esta fase da interiorização foi construída em parceria entre o Governo Federal, a Organização das Nações Unidas (ONU) e a Associação Voluntários para o Serviço Internacional – Brasil (AVSI Brasil). Este é o primeiro grupo que parte dos abrigos gerenciados pela Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) em parceria com a AVSI Brasil, em Boa Vista, na modalidade de interiorização para trabalho.

A AVSI fez contato prévio com empresas para garantir empregos para os venezuelanos com mão de obra especializada, além de contribuir com

Além do grupo que vai para a Bahia, outros 14 venezuelanos e venezuelanas seguirão para as cidades de Florianópolis (SC) e Chapecó (SC) em voos comerciais, custeados pela Organização Internacional para as Migrações (OIM). Nesta modalidade, os imigrantes não são levados para abrigos, mas para casas de familiares que já se estabeleceram nos destinos.

 Com as viagens desta quinta-feira (25), passa de 2,8 mil o número de pessoas que já participaram da interiorização. A iniciativa foi criada para ajudar os venezuelanos que estão em Roraima a buscarem melhores oportunidades no Brasil. a infraestrutura necessária para a acolhida, como locação de apartamentos mobiliados, alimentos e produtos de higiene pessoal.

Compartilhar