Alexandre Aleluia condena ação do PSOL para suspender WhatsApp: ‘Fanáticos por censura’

O vereador cobrou ainda uma posição da bancada baiana do partido sobre o tema

O líder do Democratas na Câmara Municipal de Salvador, vereador Alexandre Aleluia, repudiou a iniciativa do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) em pedir ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a restrição de funções do WhatsApp ou até mesmo a suspensão total do aplicativo em todo o país até o final das eleições.
Segundo o democrata, a prática é corriqueira entre os integrantes da sigla, classificados pelo vereador como “fanáticos por censura”.
“O PSOL, que propaga o tumulto e a desordem em vias públicas, atua exclusivamente como linha auxiliar do PT. Eles não têm agenda, apenas se curvam às ordens dadas por um bandido de dentro de uma cela. […] Condeno qualquer tipo de controle do Estado, já os integrantes do PSOL são fanáticos por censura”, disse Alexandre Aleluia.
O edil cobrou, ainda, uma posição da bancada baiana do PSOL sobre o tema. “Gostaria de saber o que eles realmente acham sobre essa tentativa de censura. Não existe outra palavra para isso. Soa contraditório. Eles tentam empurrar goela abaixo da população o que eles dizem repudiar”, reivindicou.
Nas redes sociais, Alexandre também reagiu à ação psolista no TSE e afirmou que “bloquear o WhatsApp é só um gostinho amargo do socialismo”. “O PT e seus puxadinhos não podem aceitar que a grande maioria da população pense diferente. Solução? Atacar a liberdade das pessoas de se comunicar”, escreveu o vereador, em sua página no Facebook.
Após a repercussão negativa, o PSOL voltou atrás e desistiu de pedir a suspensão do WhatsApp no país. Em nova manifestação encaminhada ao TSE, o partido pede agora que a Corte adote as medidas que entender necessárias para coibir abusos na eleição, como por exemplo a aplicação de multa, conforme informou o jornal O Globo.
Compartilhar