Rui Costa na Rádio Excelsior: “Se tivermos um presidente que não gosta do Nordeste nosso povo vai sofrer”

Rui Costa (PT) falou sobre sua reeleição e ações que serão tomadas nos próximos 4 anos de gestão.

Em entrevista ao apresentador Almir Santana na manhã desta quinta (11), o Governador da Bahia, Rui Costa (PT) falou sobre sua reeleição e ações que serão tomadas nos próximos 4 anos de gestão.

Próximos anos

“Podem esperar muito trabalho. Coragem e vontade não faltam. Não foi fácil pra mim e pra nenhum governador nessa crise. Se tiver um ventinho soprando à favor já ajuda”.

Ponte Salvador – Itaparica e VLT

“A previsão é de licitar esse ano ainda a Ponte. Bruno Dauster já está na China tirando as últimas duvidas dos empresários. É um projeto de parceria público privada. Um investimento de R$ 6 bilhões. Em breve iniciaremos as obras do VLT ainda esse ano.

“É um investimento na ordem de R$ 6 milhões. Vai abrigar os ônibus intermunicipais, municipais e os urbanos. A antiga areá será vendida para ser gerado milhares de empregos. Vamos propor a venda”.

Desafios

“O desafio do Brasil é vencer a questão da segurança pública. Não depende somente do governador. Nós temos que reduzir ano após ano. Crescemos muito nas prisões em flagrante, mas 60% são liberados nas audiências de custódia. É um desafio do Brasil que os processos sejam mais rápidos. O segundo desafio é o crime organizado. Estive com o meu candidato Haddad que se comprometeu em colocar a PF para combater este tipo de crime organizado. Se conseguirmos avançar nestes 2 pontos, vamos melhorar muito a segurança. Vou trabalhar com nossos deputados para tornar mais duras as leis de execução penais.”

“Muita humildade, trabalho e fé em Deus. Em algumas cidades eu tive 95% de votos. 248 municípios acima de 80%. É a minha marca que eu aprendi desde cedo com meus pais. A Bahia é um estado grande com muitas dificuldades. A maioria do povo tem uma renda baixa. Sergipe temo dobro da arrecadação per capta, o esforço econômico é muito grande para mantermos tudo funcionando”.

Funcionalismo Público

“Uma marca minha que a Bahia reconheceu é a sinceridade. Não faço parte da velha política. A melhor coisa é ser sincero com as pessoas. Atravessamos esses 3 anos e meio e vimos que vários estados enfrentam problemas com os servidores públicos. Qual é governador que não quer dar aumento? Fizemos mudanças salariais, carreira, mas não deu pra fazer pra todos, porque o dinheiro não é suficiente. Mas continuarei sincero com os servidores”.

“Eu diria que o segundo turno começa amanhã (12). A minha expectativa que a gente consiga trazer o bom senso e racionalidade. Não estou falando como governador do PT, mas como pai de família. Educação se faz com exemplo e não com palavras. Não acredito que a humanidade vá pra lugar nenhum com sinais de morte e violência. Se tivesse que deixar sua filha de 3 anos ficar com Bolsonaro ou Haddad, com quem você deixaria sua filha? Eu me pergunto, que país minha filhinha vai herdar, com todo esse ódio, então temos que pensar no futuro do Brasil. Temos que ter um presidente que goste do povo do Nordeste. Se tivermos um presidente que não gosta do Nordeste nosso povo vai sofrer”,

Compartilhar