No último debate, candidatos ao governo criticam Rui por nova ausência

Embate entre cinco postulantes ao Palácio de Ondina foi realizado pela TV Aratu

Ausente do debate promovido pela TV Aratu nesta quinta-feira (4), o último entre os  candidatos ao governo do estado, o governador Rui Costa (PT), que busca a reeleição, foi novamente o alvo dos cinco concorrentes que disputam o Palácio de  Ondina. Ao afirmarem que Rui foge do embate, os postulantes voltaram a criticar  pontos que consideram problemáticos da administração petista, como segurança,  educação e saúde, especialmente sobre a fila da regulação, e trouxeram a disputa  nacional, ao defenderem seus respectivos candidatos à Presidência.

As críticas à ausência de Rui marcaram o primeiro bloco. “O governador não tem  coragem de debater nenhum assunto da Bahia. Ele foge de todos os assuntos, não  tem condições de debater com os baianos”, disse Zé Ronaldo, candidato do DEM, ao  ressaltar que esta era a terceira falta do petista em embates.

Além do democrata, participaram do embate os candidatos Célia Sacramento (Rede),  João Santana (MDB), João Henrique (PRTB) e Marcos Mendes (PSOL).

“É a correria do debate, não à toa Rui Costa está governando com coronéis e leões.  Ele continua afirmando que quem mata jovens negros na periferia são artilheiros na  cara do gol”, bradou Marcos Mendes, em referência aos candidatos ao Senado,  Angelo Coronel (PSD), e vice-governador, João Leão.

Nos demais blocos, os participantes mantiveram o tom de crítica em relação aos  problemas do estado e apresentaram algumas propostas que constam em seus planos de governo. Além de segurança, educação e saúde, consideradas por eles as  áreas mais problemáticas, os candidatos discutiram também a desmilitarização da  Polícia Militar, defendida por Marcos Mendes, e os recentes escândalos de corrupção.

A corrida nacional também esteve presente no debate. Mais uma vez, João Henrique  usou o tempo do debate para falar de Jair Bolsonaro, concorrente ao Palácio do  Planalto pelo PSL, que tem coligação com o PRTB na Bahia e no Brasil. João foi mais  uma vez criticado pelos adversários pelo fato de Bolsonaro não pedir voto para ele  na Bahia.

Marcos Mendes também evocou o candidato de seu partido à Presidência, Guilherme  Boulos, enquanto Célia Sacramento convocava para o debate local o nome de Marina  Silva, presidenciável da Rede.

Zé Ronaldo, além das críticas ao governo, voltou a criticar os recentes casos de  corrupção ligados ao PT, especialmente na deleção do ex-ministro Antonio Palocci,  divulgada recentemente. “Sempre tive uma posição muito clara. O maior mal deste  país é o PT. Não quero mais o que Palocci delatou. Defendo a derrota do PT nas  urnas, não quero mais o dinheiro do povo desviado”, disse, ao contar que passou  por 220 municípios na campanha.

João Santana, por sua vez, voltou a falar do tripé agricultura, turismo e ensino  técnico, considerado por ele a chave para gerar emprego e renda. Também criticou Rui pela ausência e disse que o governador não responde a questão fundamentais para a Bahia, a exemplo da violência e da fila da regulação. “Ele não veio a esse debate porque está desrespeitando, mais uma vez, a imprensa e a população. Ele tinha obrigação de vir, porque é funcionário da população”, afirmou.

Célia Sacramento deu ênfase à fila da regulação, considerado por ela um grave problema, e também criticou a ausência do petista. “É mais um desrespeito do governador, como acontece na fila da morte absurda. Precisamos mudar essa realidade”, afirmou.

Compartilhar