Candidato ao Senado, Comandante Rangel declara: “O PT é uma facção criminosa”

Empresário e fundador da fabrica de aviões, "Paradise Aviation", Rangel, conversou com o apresentador, Almir Santana.

Apoiador de Bolsonaro na Bahia, o candidato ao Senado, Comandante Rangel (PSL), foi o entrevistado no programa, “Acorda Pra Vida” na manhã desta quarta (12). Empresário e fundador da fabrica de aviões, “Paradise Aviation”, Rangel, conversou com o apresentador, Almir Santana. Conforme Rangel, a ideia de sair candidato foi após receber a proposta do presidenciável, Jair Bolsonaro, “Nas minhas viagens à Brasília, conheci o Bolsonaro e recebi o convite para me candidatar ao Senado. Concordo com toda agenda política dele”.

Questionado sobre o desarmamento, o candidato explicou: “Só olhando os índices, teríamos que revogar o desarmamento na Bahia. Nos últimos anos a criminalidade só cresceu no estado. A arma primeiro protege e impõe o respeito. O cidadão deve ter condições de portar arma, ele será o protetor da sociedade. A arma não mata ninguém, quem mata são as pessoas, o desarmamento nos entregou aos bandidos”, afirmou.

Criminalidade

“Sobre o tráfico de drogas, preciso fazer um projeto para a proteção policial. Onde o policial está mais vulnerável, o governo não dá proteção. Os policiais que cuidam da população. Acredito que as viaturas precisam de uma blindagem mínima”.

Política

“O PT é uma facção criminosa, o que o político do PT vai fazer em Brasília? Não vai fazer nada. Mandar pra lá, ‘mais dos mesmos’, não vai resolver nada”.

Economia

“Quem cria emprego, é o empreendedor. Não é justo um empresário aguardar anos para receber uma licença. Estamos proibidos a prosperar e estamos destinados a miséria. Precisamos desburocratizar o Brasil”.

Compartilhar