Prejuízo de incêndio na Baixa dos Sapateiros chega a R$ 750 mil

Estimativa é da associação de lojistas local; 5 estabelecimentos foram destruídos

Após quase 12h desde o início do incêndio que atingiu três imóveis na Baixa dos Sapateiros, polo do comércio popular da capital baiana, o ambiente segue tomado por fumaça e bombeiros. O presidente da Associação de Lojistas da Baixa dos Sapateiros e Barroquinha (Albasa), Ruy Barbosa, calcula que os prejuízos podem chegar a R$ 150 mil por cada loja atingida pelo fogo. Ele explica que esse valor representa soma das perdas com o espaço físico e produtos. Foram atingidos nos imóveis de números 338, 336 e 334 a Belíssima Confecções, Ítalo Confecções, Vitrine Jóias, Verona Kids e Serraria e Organização Carvalho.

Iniciado trabalho para escoramento da fachada dos imóveis incendiados(Foto: Almiro Lopes)

Ruy Barbosa explica ainda que cerca de 20 pessoas ficaram sem emprego por conta de incêndio. Segundo ele, as cinco lojas atingidas pelas chamas eram negócios familiares, tocados por cinco ou seis parentes em cada loja. Alguns deles até moravam no local –  como o idoso José Hunaldo Moura de Carvalho, 85 anos, dono da Serraria Carvalho, que segue sendo procurado pelos bombeiros.

Apesar de serem as mais prejudicadas, as cinco lojas atingidas pelo incêndio não são as únicas a ficar no prejuízo. A região da Baixa dos Sapateiros e Barroquinha abriga mais de 70 lojas, segundo estima o presidente da Albasa. Ele não soube confirmar quantas lojas abriram hoje na movimentada Avenida J.J Seabra, mas garante que “se abriram 10 foi muito”.

A equipe de resgate do Corpo de Bombeiros mobiliza seus agentes para encontrar o idoso, mas a expectativa de achá-lo com vida é mínima. Após reunião entre bombeiros, Defesa Civil de Salvador (Codesal) e Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), ficou decidido que o procedimento de busca do corpo seguirá após a estrutura lateral de um dos casarões ser escorada. Esse procedimento serve para oferecer maior segurança para o Corpo de Bombeiros entrar em busca do corpo do lojista.

‘Bobcat’
Uma espécie de “mini-carregadeira” será utilizada pelo Corpo de Bombeiros na busca do corpo de José Hunaldo Moura de Carvalho. É o que explica o comandante da operação de resgate, capitão Murilo Rocha. O ‘bobcat’ funciona como uma pequena carregadeira e oferece aos bombeiros uma mobilidade melhor no interior do casarão.

O comandante explica que, no ponto mais critico da operação, cerca de 40 bombeiros estavam trabalhando. Na tarde desta terça-feira (4), o trabalho é mais “específico e minucioso, já que ainda existe a busca pelo corpo de uma pessoa” e por isso o contingente foi reduzido para 18 bombeiros.

Compartilhar