Polícia mata 4 e prende 5 suspeitos de tráfico e homicídios em João Dourado

Armas de fabricação dos EUA foram encontradas na cidade

Os moradores da cidade de João Dourado, na Bahia, viveram momentos de tensão nesta quinta-feira (30). Durante operação das polícias civil e militar quatro homens morreram e outros cinco foram presos. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) os homens são suspeitos de tráfico de drogas, homicídios e roubos.

“Foi um negócio assustador. Aqui é uma cidade pequena. Foi uma agonia de carro de polícia passando de um lado para outro. Ficamos muito assustados. Nem meus filhos foram para a escola hoje porque eu fiquei com medo”, conta Vânia Ramos, 58 anos, que mora na cidade de 22 mil habitantes desde o seu nascimento.

A SSP-BA informou que equipes das polícias Militar e Civil faziam uma operação preventiva em todo o município quando Maciel Carvalho dos Santos, 19 anos, reagiu atirando e acabou atingido. “O traficante foi socorrido, mas não resistiu. Com ele foram encontrados um revólver calibre 38 e munições”, afirmou a SSP-BA.

Em outro ponto da cidade, dois integrantes da mesma facção de Maciel, segundo a SSP-BA, também reagiram à abordagem atirando e não resistiram. Com eles os policiais encontraram duas metralhadoras, uma fabricaca nos E.U.A, ambas calibre 9mm (uso restrito) e munições.

Foto: Divulgação/SSP-BA

Em um imóvel usado pelos crimonosos, não identificados, a polícia localizou também 2 kg de maconha, porções de crack e cocaína, além de uma balança.

Já no povoado de Caldeirão do Jacó, zona rural de João Dourado, uma denúncia anônima levou as equipes até um suspeito de tráfico apelidado de Chico. “Houve novo confronto e ele também acabou não resistindo. Na casa do traficante foram apreendidos um fuzil calibre 7,62, munições, 102 porções de cocaína e seis trouxas de maconha”, destacou a SSP-BA, em nota.

Escondidos dentro do mesmo imóvel foram presos em flagrante, por associação ao tráfico, Ravilla Nayane Lopes, 23 anos, João Marcos Vieira, 20, Henrique da Silva Pinheiro, 27, e Francisco Pereira da Silva, 29, além da apreendido um adolescente de 17 anos.

Medo 
Morador da cidade, o comerciante Valter Novaes, 45, conta que nos 20 anos que mora na cidade jamais presenciou uma situação como essa. “Aqui sempre foi uma cidade pacata, mas depois que começou esse negócio de droga virou um inferno. Foi uma agonia na cidade ontem com esse monte de morte e prisão”, destaca.

A violência e atuação das facções na cidade tem mudado a rotina das pessoas. É o que conta uma moradora, que prefere não se identificar. “Eu nunca imaginei que isso pudesse acontecer aqui. Eu dormia de portas abertas, mas hoje eu nem saio de casa quando fica de noite. Meu filho já foi assaltado até saindo da escola. Ele é uma criança de 10 anos. Aqui virou terra de ninguém”, lamenta a moradora de 52 anos.

Compartilhar