Suspeito de matar PM após perseguição se apresenta à polícia em Salvador

Militar perseguiu ex-namorada e acabou morto pelo atual companheiro da mulher

O responsável pela morte do soldado da Polícia Militar Florisvaldo Moreira Santos Júnior, 39 anos, na madrugada deste domingo (26), em Feira de Santana, se apresentou à polícia nesta segunda-feira (27).

O homem, que não teve a identidade revelada pela polícia, se apresentou na sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), na Pituba, e manteve o discurso de que matou em legítima defesa – versão informada também pela Secretaria da Segurança Pública (SSP).

Conforme a SSP, o homem, que estava acompanhado da mulher – ex-namorada do PM -, atirou no militar após ser perseguido por ele, que estava em um outro carro. O soldado estava fora de serviço quando foi morto. O autor do disparo foi ouvido e liberado. Ele vai responder em liberdade por porte ilegal de arma.

O depoimento do rapaz, ainda segundo a SSP, confirma a versão das vítimas de que ele reagium em legítima defesa, à perseguição Florisvaldo. O suspeito, no entanto, não apresentou a arma usada para matar o militar.

Após a apresentação do autor, a Polícia Civil considera que o caso, que não está registrado como homicídio, está esclarecido. Equipes de investigação seguem fazendo buscas para encontrar a arma do crime.

Policial já respondia a três processos por violência doméstica (Foto: Reprodução)

Perseguição
Ainda de acordo com a PM, o soldado, que estava fora de serviço, iniciou a perseguição depois de ir até um bar e encontrar a ex-namorada na companhia do seu atual namorado. Ao avistar os dois deixando o estabelecimento comercial, Florisvaldo começou a seguir o casal.

Na Avenida Nóide Cerqueira, o carro que estava sendo perseguido pelo militar acabou batendo contra um poste. Após a colisão, o soldado chegou a atirar três vezes contra o carro. Nem a ex-namorada nem o companheiro dela ficaram feridos.

Em seguida, o companheiro da ex atirou contra o soldado, atingindo-o no pescoço. Uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi até o local para prestar o socorro, mas os médicos já encontraram o Florisvaldo morto.

A mulher já tinha prestado duas queixas contra o soldado por violência doméstica. Ele era lotado na Companhia de Policiamento de Guardas do Comando de Policiamento Regional Leste (CPRL).

Histórico de agressão
Em nota, a Secretaria da Segurança Pública do Estado (SSP-BA) informou que o soldado já respondia a três processos de violência contra ex-companheiras. Ele teria inclusive tentado matar o atual companheiro de uma delas.

Ainda segundo a SSP, o autor do disparo que acertou o militar, após o crime, entrou em contato com a Polícia Civil. Ele se apresentará numa delegacia nessa segunda-feira (27) na companhia de um advogado de defesa.

Compartilhar