Ladrões em cavalos assaltam e agridem mulher na orla de Piatã

Eles obrigaram a vítima a ficar nua

A doméstica Mônica Souza dos Santos, 35 anos, foi espancada por três homens que estavam a cavalo na orla de Piatã, nas proximidades da terceira ponte, no final da tarde desta terça-feira (21). Os suspeitos abordaram a vítima no calcadão e exigiram que ela tirasse a roupa em uma área de coqueirais. Eles ainda levaram R$250 que a doméstica havia sacado em um banco.

Mônica saía do serviço. que fica próximo ao supermercado Hiperideal, na Avenida Otávio Mangabeira, por volta das 17h. Ela tinha como destino um outro supermercado: o Atakarejo, também no mesmo bairro, quando foi abordada por três homens que exigiram que ela fosse do calçadão até os coqueirais, onde foi agredida.

De acordo com o boletim de ocorrência do posto da Policial Civil do Hospital Geral do Estado  (HGE), antes de ir ao supermercado, ela passou em um banco para sacar R$ 250. A quantia seria para realizar algumas compras.

Abordagem
No entanto, no caminho, enquanto caminhava na orla, a vítima foi surpreendida pelos homens. Após roubar o dinheiro e fazer com que a doméstica tirasse a roupa, os suspeitos espancaram Mônica utilizando cipós, os mesmos que eles usavam para bater nos animais.

Segundo o marido da doméstica, o comerciante Manoel Jesus Moreira, 41, Mônica tinha a opção de comprar no Hiperideal – supermercado mais próximo do seu trabalho. Mas decidiu ir ao Atakarejo, distante cerca de 2 km, por ser “mais em conta”. A casa do casal também fica no meio do trajeto.

“Nós também moramos em Piatã, então é próximo. Ela me disse que esses homens levaram todo o dinheiro que ela ia utilizar para comprar coisas para casa. Não é um local perigoso e sempre tem movimentação de pessoas e policiais. Ela não imaginava que isso fosse acontecer”, conta o marido. Ela é mãe de duas crianças e mora com o comerciante há cerca quatro meses também em Piatã.

A vítima, depois de ser agredida, ficou com uma lesão na cabeça e no dedo da mão direita. Ela pediu ajuda para algumas pessoas que passaram próximo ao local, que a encaminharam para o HGE, onde permanece internada. Os suspeitos não abusaram da vítima.

“Eu encontrei com ela dentro da ambulância, com outra roupa, uma camisa, que já estava bem ensanguentada. Passei a noite com ela no hospital e conversamos pouco”, completa o marido.

Compartilhar