Ferry Boat recebe recomendação da Defensoria Pública

Órgão estadual observa insegurança no embarque e desembarque de pedestres

A Defensoria Pública do Estado recomendou às instituições responsáveis pelo ferry-boat que adotem medidas de segurança nas embarcações. Segundo o órgão, a Agerba (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia) e a Internacional Travessias precisam evitar o acesso de pedestres às áreas reservadas aos veículos. Para isso, as plataformas de acesso exclusivas para pedestres – que já existem, mas não são usadas – devem ser abertas.

“Não existem regras nem organização. Adultos, crianças, idosos e pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida dividem o mesmo espaço de saída com os veículos”, observou a defensora pública Maia Gelman, que utiliza o Sistema Ferry-boat diariamente. A Agerba, no entanto, afirma ainda não ter sido notificada e, por isso, não se manifestou.

Compartilhar