Sem máscaras, ladrões fingiram ser clientes para roubar joalheria em shopping

Sem máscaras, ladrões fingiram ser clientes para roubar joalheria em shopping

Sem cobrir os rostos e cerca de 15 minutos após o fechamento do Shopping Barra. Foi dessa forma que a cinco ladrões – três homens e duas mulheres – agiram para roubar objetos da joalheria Joyah, no terceiro piso do Shopping Barra, inaugurada há apenas 3 meses em Salvador. O crime aconteceu na noite de terça-feira (7) .

De acordo com a delegada titular da 14ª Delegacia (Barra), Carmen Dolores, já foram confirmadas cinco pessoas, que aparecem nas imagens do circuito interno do centro de compras. São três homens e duas mulheres, que não se preocuparam em esconder os rostos. Uma das mulheres já foi identificada e está sendo procurada pela polícia.

Homens participaram da ação dentro do shopping
Foto: Divulgação/ Polícia Civil

Há ainda a suspeita de um sexto integrante da quadrilha, que aguardou o grupo no estacionamento do shopping. Depois da ação, os suspeitos fugiram pela rua Miguel Burnier, na Barra.

“Eles fazem de uma forma para que ninguém perceba a ação e as mulheres estavam segurando sacolas grandes de compras, se passando por clientes do shopping”, afirmou a delegada.

Mulheres usaram sacolas para disfarçar ação de roubo 
Foto: Divulgação/Polícia Civil

Ela ainda disse que um dos integrantes ficou observando os seguranças do shopping, que estavam em ronda de rotina. As informações eram passadas por meio de aplicativo de mensagem aos demais membros da quadrilha.

Ainda segundo Dolores, pelo menos três integrantes do grupo são de fora do estado. Ela ainda afirmou que não há, por enquanto, identificação do veículo utilizado na ação.

As investigações apontam que, além de roubar peças de ouro e prata da vitrine, o grupo tentou abrir o cofre com a ajuda de um pé de cabra, o mesmo utilizado para arrombar a porta da loja, mas não conseguiu.

A delegada também explicou que, em crimes como esse, o normal é que o material furtado seja revendido, repassado a receptadores. “Só há furto e roubo, porque há a figura do receptador”, disse.

As sócias da loja, que já prestaram depoimento e registraram a ocorrência, não quiseram falar com a imprensa. O marido de uma delas, que não se identificou, disse que a joalheria ainda não possuía alarme, por ter sido inaugurada há pouco tempo. Para ele, todos confiavam na segurança do próprio shopping. Apesar disso, o marido ressaltou que pretende resolver a situação com o estabelecimento sem litígio, de maneira pacífica.

No total, cinco pessoas participaram da ação; sexta pessoa está sendo investigada
Foto: Divulgação/SSP

O grupo vai responder por furto qualificado, com concurso de pessoas e mediante arrombamento. Ainda não se sabe a quantia levada pela quadrilha.

Qualquer informação sobre os suspeitos pode ser passada à Polícia Civil pelo 3116-6103. A identidade do denunciante é mantida em sigilo.

Compartilhar