Marcell Moraes diz que “o PSC faltou com a palavra”

O deputado foi um dos parlamentares que criticaram, ontem, o PSC por conta do imbróglio em torno das coligações proporcionais

O deputado Marcell Moraes (PSDB) foi um dos parlamentares aliados ao prefeito ACM Neto (DEM) que criticaram, ontem, o PSC por conta do imbróglio em torno das coligações proporcionais. Após Irmão Lázaro (PSC) ser oficializado pré-candidato ao Senado, o partido deveria concordar em participar do chapão, o que não foi acatado. Com isso, Lázaro poderia ser excluído da chapa. “Na vida pública, acordo é para ser cumprido. Achei que o PSC faltou com a palavra. Existe um acordo que todo mundo sairia no chapão em troca de Lázaro estar na majoritária […] A certeza que tenho é que Zé Ronaldo vai vencer no primeiro turno, assim como Wagner [venceu]. É o sentimento da população, principalmente no interior do estado”, disse o tucano durante o programa Política na Mesa, na Rádio Câmara Salvador.

Moraes também falou sobre seu trabalho em defesa da causa animal, ressaltando que ainda enfrenta preconceitos. “Ser o único deputado na Bahia que defende a causa animal não é fácil. O preconceito está aí, inclusive na própria Assembleia. Tem deputado que é a favor da vaquejada, de animal em circo e carroça na zona rural”, declarou. “Fui eleito sem apoio de prefeito ou vereador. Ou seja, meu voto não foi comprado. Vejo hoje deputados que a sociedade nem conhece com 90 mil votos. Ele não precisa agradar a população, precisa comprar o prefeito. As pessoas devem acompanhar seu candidato e não votar em candidato em prefeito”, prosseguiu.

Ainda de acordo com ele, “a forma de fazer política no país está errada”. “A consciência do eleitor. O eleitor precisa ser consciente, não pode ser influenciado por vereador ou prefeito. Espero que a sociedade reflita, que escolha deputados atuantes”. O deputado também rebateu as críticas de veterinários, que o acusaram de fazer uso político de seu trabalho de castração de cães. “Eu sou protetor de bicho, não de veterinário. Quando trago o castramóvel, prejudico o bolso dos veterinários”, pontuou.

Compartilhar