Polícia mata quatro suspeitos de tráfico no Complexo do Nordeste de Amaralina

Confrontos aconteceram após morte de policial no sábado (9)

A  violência que atinge Salvador e Região Metropolitana  (RMS) desde o final de semana parece não ter fim. Na última segunda-feira (11), quatro homens morreram no bairro da Santa Cruz, no Complexo do Nordeste de Amaralina, na capital baiana.

Wesley Santos Batista da Silva, 22 anos,  foi atingido por disparos de arma de fogo na região do tórax, na rua Hélio Lacerda. De acordo com o boletim de ocorrência do Hospital Geral do Estado (HGE), uma guarnição da polícia que fazia ronda na região tentou entrar em uma casa, que fica na localizada na rua, para aprender um homem armado. Ao entrar na residência, conforme o boletim, Wesley começou a atirar nos policiais.

Em seguida, segundo a ocorrência, houve uma troca de tiros e Wesley foi atingido. Ele foi encaminhado para o HGE e acabou não resistindo.

Outro homem, ainda não identificado, também foi baleado no bairro. A vítima, segundo a ocorrência, estava dento de uma casa rua Emídio Pinho. Ainda de acordo com o boletim, uma guarnição da polícia foi chamada para atender um chamado na casa onde o homem  estava, no entanto, quando os polícias chegaram no local, houve troca de tiros. “Houve revide dentro da proporcionalidade sofrida”, diz o boletim. A vítima também foi encaminhada para o HGE e não resistiu.

Já na madrugada, mais dois homens foram baleados no final de linha do Nordeste de Amaralina. Anderson Silva Machado, 19 anos, foi atingido por disparos de arma de fogo na região do tórax. Ele estava com  Rafael Souza Bispo Santos, também atingido no tórax. Segundo o boletim, a polícia fazia rondas na região quando avistou as vítimas.

Rafael e Anderson estavam armados, segundo a polícia. Ao perceber a presença da guarnição, houve troca de tiros e eles acabaram atingidos. As vítimas não resistiram. Com as eles, polícia encontrou duas pistola, 211 pinos de cocaína e um tablete de maconha prensada.

Onda de violência
A onda de violência no bairro começou deste o último sábado  (9), quando o policial militar, Gustavo Gonzaga da Silva, 44 anos,  foi morto e torturado na Santa Cruz.

Para se ter ideia, o final de semana – dias 9 e 10 de junho – foi o mais violento do ano. Foram registrados, segundo dados da Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), 29 homicídios entre 0h de sábado (9) e domingo (10). Além das mortes foram registradas também outras três tentativas de homicídios.

A determinação da Secretaria da Seguranaça Pública é sufocar o tráfico de drogas local e continuaremos 24h no bairro patrulhando”. A informação foi divulgada nesta terça-feira (12) pelo comandante da Rondesp Atlântico, major Edmundo Assemany e se refere às regiões da Santa Cruz e Nordeste de Amaralina, onde o cabo Gustavo Gonzaga da Silva foi torturado e morto no sábado (09).

A Secretaria da Segurança Pública do Estado (SSP) investiga se a onda de violência em Salvador e na Região Metropolitana (RMS) no último fim de semana foi uma retaliação pela morte de dois policiais militares na semana passada. Entre sábado (9) e domingo (10), 30 pessoas foram assassinadas, incluindo o cabo da PM Gustavo Gonzaga da Silva, 44 anos.

De acordo com o titular da pasta, o secretário Maurício Barbosa, a SSP investiga até mesmo a possibilidade de ação de um grupo de extermínio. Em entrevista, Barbosa destacou que foi um fim de semana ‘atípico’ – especialmente por sair de uma sexta-feira (8) em que não houve nenhum assassinato para registrar 17 no dia seguinte.

Compartilhar