Produtores do Oeste baiano investem R$ 11 bi na preservação ambiental

Sustentabilidade é um dos temas da Bahia Farm Show, que começa hoje (5), em Luís Eduardo Magalhães

Os produtores da região Oeste da Bahia – maior polo de agrinegócio do Nordeste – já investiram um total de R$ 11 bilhões em áreas de proteção e reserva ambiental, de acordo com um estudo apresentado pela Embrapa em 27 de maio, durante o fórum “O Papel do Produtor na Conservação do Cerrado”, realizado no auditório da Fundação Bahia, em Luís Eduardo Magalhães (BA). O evento serviu como uma prévia do Bahia Farm Show 2018, que tem início nesta terça-feira (5) e desfaz o mito de que o agronegócio como um todo é um setor inimigo do meio ambiente

O estudo, apresentado pelo chefe-geral da Embrapa Monitoramento por Satélite, Evaristo Miranda, além do mapeamento por satélite de todas as propriedades, utilizou dados do Sistema Nacional de Cadastro Ambiental Rural, do Ministério do Meio Ambiente. O resultado demonstrou que o Oeste Baiano conserva 53% do seu bioma natural, alcançando um total de 4,2 milhões de hectares preservados. Deste número, 35% estão nas propriedades agrícolas, o maior percentual de todo o País e um dos maiores do mundo.

“Não tem ninguém que investe mais na conservação ambiental, e estamos falando apenas em terra imobilizada, sem contarmos outras práticas, como o uso racional da água e o manejo de solos”, destaca Miranda. Segundo o estudo, caso as terras preservadas estivessem em produção, elas gerariam um patrimônio líquido da ordem de R$ 27 bilhões.

Compartilhar