Rui Costa atribui “caos” do país à oposição

Petista disse que deputados que votaram impeachment contribuíram para alta dos combustíveis

O governador Rui Costa (PT) chamou, ontem, de “caos” a situação que o Brasil vive após o protesto dos caminhoneiros, e culpou a oposição pelo atual cenário do país. Em entrevista à imprensa, durante a inauguração da Policlínica Regional de Feira de Santana, o petista baiano afirmou que os deputados federais, que apoiaram o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), são responsáveis pela crise. “Vamos deixar de conversa fiada. São esses deputados que são responsáveis por esse caos que o país está vivendo, porque eles rasgaram a democracia e a lei, e tiraram uma presidente eleita democraticamente para colocar esse desastre que está aí”, ressaltou, referindo-se à administração do presidente Michel Temer (MDB). “Sinceramente, eu fico me perguntando como tem pessoas que conseguem ter a capacidade de dissimular as suas responsabilidades. Os mesmos que são oposição na Bahia são aliados de [Michel Temer] no governo federal. Quem é oposição na Bahia é quem tirou Dilma do poder. Quem é responsável pela gasolina ter saído de R$ 2,60 para R$ 5,00 são esses deputados de oposição. Foi o PSDB, o PMDB, o PPS, o DEM… os partidos que tiraram a Dilma e levou a gasolina de R$ 2,60 para R$ 5,00”, acrescentou.

Rui Costa afirmou, também, que os parlamentares de oposição deveriam pedir “desculpas ao povo baiano hoje por ter feito esse mal ao Brasil”. A declaração do governador foi uma reação à acusação de oposicionistas, que responsabilizaram o chefe do Palácio de Ondina pela alta do preço da gasolina e do diesel. Presidente do Democratas na Bahia, o deputado federal José Carlos Aleluia afirmou que a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) no estado sobre combustíveis é a “maior do Brasil”, pois, chega a 32%. O governador atribuiu a crítica do parlamentar democrata a uma tentativa de antecipar o debate eleitoral. “Só vou fazer o debate da eleição a partir do dia 15 de agosto, quando ocorre a inscrição das candidaturas. Antes disso, eu não vou polemizar nem vou fazer debate eleitoral”, ressaltou.

Rui Costa fez questão de salientar, no entanto, que a Bahia cobra do botijão de gás o “menor ICMS do Brasil”. Já do diesel o imposto cobrado é de 18%, segundo ele, o mesmo tributado em toda região Nordeste. “Não aumentamos nada do diesel. Quem fala isso está mentindo. Engana o povo”, asseverou. Também condenou o fato de o governo federal reduzir a produção, pela metade, da Refinaria Landulpho Alves. “Qual a explicação para isso?”, perguntou.

Gualberto rebate declarações do petista

Em resposta ao governador, o deputado federal João Gualberto (PSDB) disse que Rui “está mal informado”. Segundo o tucano, em 2015, quando Dilma Rousseff presidia o Brasil, todos os deputados federais baianos do PSDB votaram a favor da emenda à Medida Provisória 670/2015 que isentava o óleo diesel da alíquota do PIS/COFINS. Porém, a emenda foi vetada pela então presidente Dilma, do PT.

“A memória desse governador é bastante seletiva, parcial e conveniente. Será que ele não lembra que foi o PT e seus aliados que quebraram uma das maiores petrolíferas do mundo com os milionários esquemas de corrupção? Essa é uma das causas da crise instalada hoje”, retrucou, acrescentando que “o governador está confundindo as siglas que apoiam o governo Temer. Foram os seus aliados de primeira linha, deputados do PR e do PP, partido do seu atual vice-governador, que votaram contra a denúncia para investigar Temer, acusado de corrupção passiva. Por que será?”, questionou João Gualberto, que também é presidente do PSDB na Bahia.

Compartilhar