Serviços municipais essenciais estão garantidos até quarta, diz prefeito

Prefeitura lançou operação priorizando áreas essenciais; obras estão suspensas

Com a crise no abastecimento, os baianos têm sofrido com a falta de muitos produtos. Para que não faltem serviços essenciais em Salvador, a prefeitura resolveu lançar, na tarde desta sexta-feira (25), uma série de medidas sobre funcionamento de serviços durante a greve. O prefeito ACM Neto estabeleceu transporte público, saúde e limpeza urbana como prioritários na operação de contingência.

Para o transporte público, ele afirmou que a frota reduzida será mantida nas próximas segunda, terça e quarta do mesmo modo que aconteceu já nesta sexta: nos horários de pico, 80% da frota deve circular, nos demais horários rodam 40%. Nesse sábado, a frota, que normalmente já é reduzida, circulará com 50% da capacidade e no domingo, 30%.

“É bom informar que não havendo suspensão no movimento de paralisação do abastecimento de combustíveis, a frota tem condição de rodar até quarta. Depois disso, há risco”, afirma o prefeito.

Ele considera a possibilidade de redução ainda maior a partir de quarta, caso a paralisação continue.

O prefeito explica que em relação aos serviços de limpeza urbana, a situação é mais complicada. Embora o município tenha se organizado para manter os serviços de coleta dentro da normalidade, o caminho para o aterro municipal está interditado na região do CIA-Aeroporto.

“Inevitavelmente, nós vamos ter problema”, lamentou.

Ele pede que a população fique atenta aos horários da coleta e procure reduzir a quantidade de lixo produzida para evitar acúmulo de resíduos na cidade.

Plano de contingência prioriza transporte, saúde e limpeza(Foto:SECOM/PMS)

O prefeito afirma também que até a próxima quarta-feira, o funcionamento das ambulâncias do Samu está garantido. “Estamos trabalhando em esquema de plantão para priorizar o funcionamento das UPAs e do Hospital Municipal”, disse. Outra prioridade em relação à saúde são as unidades de atenção básica e os multicentros.

“Até segunda-feira, todas as operações da prefeitura estão planejadas”, afirmou Neto. Se houver extensão da paralisação, um novo plano de contingência será divulgado no início da próxima semana.

Obras suspensas
Além das medidas prioritárias, o prefeito suspendeu as atividades regulares de infraestrutura, como as da Secretaria de Manutenção e da Defesa Civil, que só vão atuar em caso de emergência. “A cidade está num período de chuvas, a gente não pode desconsiderar a ocorrência de alguma necessidade urgente. É um trabalho de precaução”, explica Neto.

Embora prefira uma solução democrática, o prefeito se mostrou a favor da decisão do presidente Michel Temer de acionar as forças federais para liberar as estradas, já que, em sua análise, o cidadão está pagando um preço alto pela manifestação.

“Eu sempre defendo o diálogo. Entendo que o ideal é que esse movimento possa ser suspenso, para que o Brasil volte à sua normalidade de funcionamento. Eu acho que o movimento é meritório, mas chegou num ponto que é preciso ter responsabilidade com o Brasil”, opinou.

A rede municipal de educação vai funcionar normalmente enquanto houver transporte público, de acordo com Neto. O dia D de vacinação, marcado para este sábado, também está mantido. O ponto facultativo dos servidores municipais não está descartado, mas o prefeito vai esperar o andamento das negociações com os caminhoneiros para tomar atitudes a esse respeito.

Compartilhar