Temer aposta no ‘quanto pior, melhor’ e greve dos caminhoneiros continua prejudicando o povo, diz Suíca

A greve dos caminhoneiros tomou estradas federais de diferentes estados do país e já causa transtornos para a população. Nesta quinta-feira (24), o vereador e líder do PT na Câmara de Salvador, Luiz Carlos Suíca, diz que os protestos não vão acabar enquanto o governo de Michel Temer (MDB) continuar sem uma política interna de reajuste dos valores dos combustíveis. Quanto à eliminação da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) sobre o diesel, Suíca afirma que a proposta é irrisória para o valor do combustível e que “a Petrobras tenta enganar os caminhoneiros anunciando uma redução de 10% no valor do diesel nas refinarias por 15 dias”.

 

“Essa política de reajuste tem que ser interna, a partir da sua produtividade, do seu consumo. Temer tem que mudar a política de reajuste do óleo diesel, essa é a saída, não pode estar vinculado ao dólar. A grande questão é que não é só os caminhoneiros que lutam para reduzir o valor do diesel, tem a população também que sofre com a falta de mantimentos e do próprio combustível, já que os caminhoneiros são os responsáveis pelo seu transporte desses itens”, completa.

 

Suíca aponta ainda que o país precisa de mais investimentos em outros meios de transportes, para que a população não fique refém. “Isso mostra também que é preciso investir em ferrovias e transportes marítimos, que além de serem mais limpos para o meio ambiente, não deixariam a população sem alimentos, por exemplo”, finaliza. O edil petista acredita que a greve só deve acabar depois que os caminhoneiros tiverem suas demandas atendidas, que envolve, também, além da luta por menores valores do diesel, a diminuição de pedágios e mais segurança nas estradas.

Compartilhar