Salvador registra, em média, 10 acidentes de trânsito por dia

Foram contabilizados pelo órgão 889 acidentes no primeiro trimestre deste ano

Só no primeiro trimestre deste ano, Salvador registrou em média 10 acidentes de trânsito por dia. Os dados são da Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador). Nos três primeiros meses deste ano, foram registrados pelo órgão 889 acidentes; o número de vítimas não foi informado.   Na madrugada desta segunda-feira (7), o motorista identificado como Marcelo Lobão, 41 anos, morreu afogado depois que seu carro modelo Land Rover caiu no Rio Lucaia, nas proximidades do Largo da Mariquita, no Rio Vermelho.
Se comparado ao mesmo período do ano de 2017, houve uma queda no número de acidentes. Em 2017, o ógão registrou 1.114 ocorrências nos meses de janeiro, fevereiro e março. Ou seja, uma média de 12 acidentes por dia.

Marcelo estava na companhia do filho e de duas mulheres. Todos conseguiram sair do veículo após o acidente. No entanto, Marcelo ficou preso ao cinto de segurança e acabou morrendo afogado.

A vítima chegou a ser encaminhado para Hospital Geral do Estado(HGE), mas, de acordo com o boletim registrado às 9h desta segunda-feira no posto da Polícia Civil da unidade de saúde, Marcelo já chegou sem sinais vitais – foi confirmada a sua morte por parada cardiorrespiratória.

Mortes no trânsito
O número de mortes por acidentes de trânsito caiu 51% em Salvador, entre 2012 e 2017. Levantamento da Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador) mostra que, em 2012, foram registrados 247 óbitos nas vias, contra 120 em 2017. Com a redução, a capital baiana atinge, três anos antes, a meta estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) para a Década de Ação pela Segurança no Trânsito (2011-2020), de diminuição de mortes em 50%, até 2020.

De acordo com superintendente da Transalvador, Fabrizzio Muller, estão sendo considerados apenas índices alcançados desde a implantação do Programa de Redução de Acidentes de Trânsito. Houve ainda queda de 37% do total de acidentes contabilizados com vítimas – mortas e feridas, se comparado ao mesmo período: em 2012, foram 6.827 e, no ano passado, 4.277. Não foi diferente com o número de pessoas feridas, que apresentou diminuição de 25% entre 2012 (6.962) e 2017 (5.023).

Como resultado, houve ainda a redução de mortes por 100 mil habitantes, índice utilizado mundialmente, passando de 9,11, em 2012, para 4,06 em 2017. Toda essa redução acontece a despeito do aumento da frota de veículos da cidade, que subiu de cerca de 820 mil veículos para quase 960 mil no mesmo período.

Compartilhar