Marta Rodrigues pede mais transparência na implantação do BRT

A vereadora afirma que o projeto do Executivo Municipal tem custo muito superior ao de outras capitais do país

Para a líder da oposição na Câmara Municipal de Salvador, vereadora Marta Rodrigues (PT), o projeto do Bus Rapid Transit (BRT) de Salvador, “além de ser ultrapassado, tem um valor exorbitante que destoa do que foi gasto com o mesmo modal nas principais capitais do país”. O custo por quilômetro do BRT em Salvador, segundo ela, é duas vezes maior que o do Rio de Janeiro. “Qual a explicação para o gasto de dinheiro público com um modal que não vai atender bem a cidade?”, questiona, frisando que a prefeitura precisa explicar e mostrar transparência.

A vereadora já havia oficiado a prefeitura em abril de 2017, cobrando o estudo que fundamenta a implantação do BRT com trecho inicial de 2,9 quilômetros por R$376 milhões (conforme descrito em edital), ligando a Lapa ao Iguatemi. Mas, não obteve respostas. Em abril deste ano, ela cobrou do Executivo municipal estudos de impacto de vizinhança e ambiental com a construção dos quatro elevados previstos no projeto.

Árvores

“Esse é um valor exorbitante. Já existe um sistema viário desenvolvido nesse trecho Lapa-Iguatemi, inclusive com o metrô, ao contrário das áreas mais carentes de Salvador onde poderia haver investimento em transporte”, destaca a parlamentar.

Marta pontua outros problemas graves, a exemplo da construção de quatro elevados somente no trecho 1 e dos tamponamentos dos Rios Camarajibe e Lucaia, com a derrubada de 579 árvores. “Somente a construção dos elevados representa R$ 179.350.079,85. Elevados são obsoletos, estão sendo derrubados, a exemplo da perimetral do Rio de Janeiro. Além disso, a prefeitura vai cortar 579 árvores”, acrescenta.

Custos – Enquanto um quilômetro do BRT da capital baiana custa R$150.683.873,096 (o trecho 1 custa R$ 376.709.682,74 e tem apenas 2,9 km), no Rio de Janeiro o quilômetro custou R$70.343.078,99. Lá, o BRT tem 28 quilômetros e teve investimento de R$ 1.969.606.211,94.

Em Belém, são 20 quilômetros de BRT com gastos de R$ 583.310.528,10, o que corresponde a R$26.915.526,40 por quilômetro. Em Fortaleza, foram 17,4 quilômetros ao custo de R$ 145.038.193,45. O custo do quilômetro foi de R$ 8.335.528,36.

Já em Recife foram gastos R$ 197.700.000,00 para a construção de 15 quilômetros, ou seja, R$ 13.180.000,00 por quilômetro.  Os dados foram obtidos nos sites de transparência dos municípios.  “Mais uma vez, falta transparência à prefeitura de Salvador”, disse Marta.

Compartilhar