Crise do MDB provoca debandada de deputados

Leur Lomanto Jr. foi um dos deputados estaduais que anunciaram a desfiliação do MDB

A crise que atinge o MDB na Bahia provocou uma debandada de parlamentares do partido. Os cinco deputados estaduais já confirmaram que vão sair da sigla. O ex-líder da oposição na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Leur Lomanto Júnior, fez seu anúncio ontem.“Devo me desfiliar do MDB nos próximos dias, com o sentimento de uma pessoa que teve grandes momentos neste partido. Dezessete anos de filiado não são 17 dias. Construí grandes amizades, tive apoio de grandes lideranças. Tive momentos felizes e momentos de tristeza. Ganhamos e perdemos, mas sempre com dignidade”, afirmou Leur Lomanto, em entrevista à rádio Itpaoan. “Agradeço o espaço alcançado e a confiança do meu eleitorado, que me acompanhou durante esse período. É um ciclo que se encerra e outro que começa. Chegou o momento de partirmos juntos para uma nova caminhada”, acrescentou o parlamentar por meio de sua assessoria.

O deputado disse ainda que a sua saída foi questão de “sobrevivência política” e assegurou que vai permanecer na base do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM). Disse, também, que há “grande possibilidade” de migrar para o Democratas, mas ressaltou que tem analisado propostas de outros partidos. Os parlamentares Hildécio Meireles, David Rios e Lúcio Simões Filho já tinham anunciado que deixariam a agremiação. O deputado Pedro Tavares, que é presidente interino no MDB baiano, foi o último a confirmar a sua saída.

“Isso é por uma questão eleitoral deles, não é com o PMDB. É conta. É matemática. Não tem caminho natural para ninguém. Ninguém quer casamento de elefante com jacaré. Leur vai sair, com certeza absoluta. Pedro sai com muita correção. Ele estava – e está – angustiado, e está indo com o coração partido. As bases políticas dele estão no MDB. Isso só vai acabar em 2020, com o fim da coligação. Não estão fazendo isso porque querem, mas porque o sistema os obriga. Se não tivesse coligação, não saía nenhum. É fruto do atual sistema político. Estão jogando conforme a regra, com o regulamento debaixo do braço”, disse.

Compartilhar