‘Sem motivo, sem um porquê’, diz síndica que cedeu imagens de agressão na Graça

Kaique Moreira Abreu, 22 anos, está internado em estado gravíssimo; jovem voltava para casa

kaique.agredido carnaval 2018

A motivação da agressão sofrida pelo estudante de Engenharia Mecânica Kaique Moreira Abreu, 22 anos, na sexta-feira (9), no bairro da Graça, em Salvador, intriga até mesmo quem viu as cenas do crime. O jovem foi espancado na madrugada, por volta de 3h, na Rua Manoel Barreto.

As câmeras de segurança de um prédio gravaram toda a ação. As imagens já estão com a Polícia Civil. Síndica do edifício, que entregou as imagens para família, disse, sem se identificar, que o jovem foi espancado “sem motivos”.
“As imagens são brutais. Eles chegam a bater na cabeça dele, sem dó. Depois entram em um caminhão e vão embora. Aquilo não foi assalto”, acredita. Segundo a moradora, o jovem retornava do Carnaval, por volta de 3h, quando foi atacado.

Titular da 14ª Delegacia (Barra), que apura o crime, a delegada Carmen Dolores Bittercourt afirmou, nesta terça-feira (13), que o crime não tem relação com a festa.

“Não temos dados de que os indivíduos que tenham feito isso estavam no Carnaval, ou até mesmo a vítima. A Manoel Barreto não faz parte dos circuitos, portanto, não há uma relação a ser feita entre as duas coisas”, disse Dolores.

Conforme informações, Kaíque e a família, que moram em Lauro de Freitas, haviam alugado um apartamento na Rua Manoel Barreto, onde ocorreu o crime.

Por telefone, um tio da vítima disse à reportagem que os pais do jovem estão inconformados. “Eles estão super abalados e, por isso, nós optamos por não dar maiores declarações. As imagens já estão com a polícia e estamos aguardando”, afirmou ele, sem dar maiores detalhes sobre o estado de saúde do sobrinho.

A vítima segue internada no Hospital Português (HP), onde já chegou em estado considerado gravíssimo. Pelo menos dois suspeitos aparecem nas imagens cedidas à polícia pela família.

Conforme o secretário de Saúde do município, José Antônio Rodrigues Alves, Kaíque deu entrada no HP com quadro de morte cerebral. “Ele foi atendido em estado extremamente grave e, como ele tinha plano de saúde, foi encaminhado para o Hospital Português, que era o hospital mais perto. Ele foi atendido e, naquele momento, ficamos sabendo que os médicos [do hospital] atestaram morte cerebral”, disse Alves, nesta terça-feira (13), durante balanço parcial do Carnaval.

 

Compartilhar