Marta rebate Carballal: ‘Ele puxa o saco de Neto e menospreza dados sobre a realidade de Salvador’

A líder da oposição na Câmara Municipal de Salvador, vereadora Marta Rodrigues (PT), disse, nesta quarta-feira (7), que o vereador Henrique Carballal, líder da bancada do governo, presta um desserviço à população ao fazer vistas grossas para a difícil realidade de Salvador para agradar o chefe, prefeito ACM Neto (DEM). “Ele menospreza os dados oficiais, que estão aí, para todo mundo ver, mostrando como Salvador está sofrendo com o racismo, falta de políticas públicas no âmbito social, carente de atenção básica de saúde, educação infantil, geração de emprego e renda”, afirma a líder. De acordo com dados de janeiro de 2018 da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), Salvador teve em 2017 467 mil desempregados, um aumento de 11 mil comparado a 2016. “Continua configurando, vergonhosamente, como a capital do desemprego no Brasil, sem que haja nenhuma política de geração de renda. Ao contrário, a prefeitura persegue ambulantes e trabalhadores”, informa a petista.

Além disso, continua a vereadora, dados do Conselho Federal de Medicina (CFM), em conjunto com a ONG Contas Abertas, mostra que Salvador é a capital com menor investimento em saúde por habitante, de R$ 0,59. “Temos uma atenção básica de saúde deficitária, com postos de saúde sem material de trabalho, com médicos em greve nas UPAs devido a precarização do trabalho. A cobertura da atenção básica ´w a mais baixa entre capitais do nordeste, atingindo 36%. Ou seja, quase 70% da população soteropolitana não tem acesso a um médico de família”, destaca. Para Marta Rodrigues, a bancada do governo precisa parar de ‘puxar o saco’ do prefeito e começar a ouvir as demandas do povo soteropolitano. No quesito educação, a vereadora pontua que graças ao Governo do Estado pelo menos 125 mil alunos, que são de responsabilidade do município, estão nas salas de aula. “Quem banca a educação em Salvador é o governo do Estado. O prefeito faz misancene inaugurando edificações que ele diz ser escolas. Durante um ano inteiro não houve fardamento nem merenda escolar. O déficit de vagas em creches já chega a 140 mil. É só sair do gabinete para conhecer a realidade”, dispara.

Segundo a líder da oposição, Carballal anuncia o Hospital Municipal como um grande mérito, mas não explica o porquê dele ainda não ter sido concluído, uma vez que já havia verba suficiente para sua construção. “A construção do Hospital foi justificativa para venda de bens públicos pelo prefeito em 2014, e também este ano. Dos 59 imóveis autorizados para venda pela Lei 8655/2014 foram vendidos 14, totalizando entre 2014 e 2016 o ingresso nos cofres municipais de R$ 82.452.169,52. O valor total do Hospital é de R$ 78, 4 milhões. Mais uma vez, promessas que não são cumpridas”, argumentou. A vereadora afirma, ainda, que Salvador só está na frente de outras cidades na realização de festas, uma estratégia da prefeitura para enganar a população das verdadeiras necessidades da capital. “Salvador tem 17 mil pessoas em situação de rua, conforme dados do Projeto Axé em parceria com a UFBa, e a prefeitura sequer tem um banco de dados. Pior do que isso, fecha abrigos, não desenvolve políticas públicas e não tem em seu Plano Plurianual nenhum eixo específico para lidar com a questão. Não há menor preocupação com o povo da cidade. O prefeito é especialista em fazer marketing e sua bancada, pelo visto, em proselitismo político”.

Compartilhar