Homem diz duvidar que esposa tenha assassinado filho antes de se matar

esposa asssassino

“Ela era uma boa mãe, uma ótima esposa. Cuidava muito bem de mim e do meu filho. Não acredito que ela tenha matado ele, as pessoas falam demais”, desabafou Damião da Silva, de 53 anos, ao falar que não acredita que a esposa, a dona de casa Grazielle de Santana da Silva, 28, tenha matado o filho do casal, Davi de Santana da Silva, 4, antes de cometer suicídio, na quinta-feira, 1º. Ela era esquizofrênica.

O corpo do garoto foi encontrado na manhã do domingo, 4, submerso em um charco, às margens do Rio Capivara, em Arembepe, em Camaçari (Região Metropolitana), cinco dias após ter sido levado de casa pela mãe. Eles moravam no Loteamento Sangradouro, a um quilômetro da área onde o corpo de Davi foi localizado.

“Para mim, ela não morreu, eles não morreram. Para mim, estão na casa da mãe dela. Eu a amei e a amo demais”, declarou Damião.

Segundo ele, apesar de Grazielle ter desenvolvido transtorno mental aos 19 anos, ela era uma pessoa tranquila, amável e cuidava muito bem do filho.

Surto psicótico

Damião revelou que, em outra ocasião, durante um surto psicótico, Grazielle já havia saído de casa e levado o filho – quando ele tinha apenas 6 meses. “Ela não fez nada com ele, cuidou muito bem, amamentou. Não acredito que ela tenha matado ele, é conversa  do povo”, reafirmou.

Ele e Grazielle conviviam há cinco anos. Segundo a delegada Maria Daniele Monteiro, titular da 26ª DT (Vila de Abrantes), somente após o exame pericial, será possível estabelecer a causa da morte de Davi.

Despedida

O enterro de Davi está previsto para a manhã desta terça, 6, no cemitério de Arembepe. Mas, até a tarde desta segunda, 5, o corpo permanecia no Instituto Médico Legal Nina Rodrigues (IML/NR) aguardando liberação. “Fui lá de manhã e disseram que ainda iam fazer a autópsia”, disse o pai.

O corpo de Grazielle foi enterrado no final de semana, em Catu (a 89 Km de Salvador). “A família dela pediu para enterrar lá. Mas meu filho vou enterrar aqui, não tenho mais dinheiro. É muito caro”, concluiu.

Compartilhar