Souto e Eron são cotados para segunda vaga ao Senado na chapa de Neto

O secretário municipal da Fazenda e ex-governador Paulo Souto (DEM) está sendo cotado para assumir uma das vagas ao Senado na chapa do prefeito ACM Neto (DEM), caso o democrata se lance ao governo, mas não consiga atrair para seu campo político legendas como o PP e o PR, hoje na base do governador Rui Costa (PT).

Até o momento, fechados com a chapa de ACM Neto só estão o prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo, do DEM, que deve sair candidato a vice, e o deputado federal Jutahy Magalhães Jr., do PSDB, cotado para concorrer a uma das vagas de senador na chapa do democrata.

Souto concorreria à segunda vaga ao Senado, mas ainda assim não estaria consolidado na posição, porque poderia ser substituído no caso de o prefeito conseguir atrair, por exemplo, o PR, partido hoje com menos condições de integrar a chapa de Rui Costa do que o PP, que deve manter João Leão como vice do petista.

“O prefeito tem condições de buscar em seu próprio grupo nomes para concorrer ao seu lado às eleições majoritárias, embora o ideal seria que pudesse trazer alguém também do lado do governo”, diz um político que acompanhou ACM Neto nestes primeiros dias de pré-Carnaval na cidade.

O problema da opção Souto seria que, depois de lançado, caso o ex-governador seja forçado a dar lugar a um nome do PR ou mesmo do PP, acabaria perdendo a posição de secretário da Fazenda do prefeito. Por este motivo, uma alternativa seria o nome da atual secretária municipal de Ação Social, Tia Eron, do PRB.

Além de mulher e negra, ela pertence ao partido da Igreja Universal, considerada uma força eleitoral poderosa no país e em Salvador. Também Eron, no entanto, não teria segurança de que poderia ficar na chapa, caso o prefeito consiga atrair um partido aliado do PT para sua campanha.

Compartilhar