Empresário baiano é único nordestino em encontro com Barack Obama

paulo rogerio obama

“Falamos bastante sobre a situação social dos jovens afrodescendentes no Brasil”, contou o empresário baiano Paulo Rogério Nunes sobre o encontro realizado, nesta quinta, 5, com o ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. A conversa ocorreu após palestra ministrada pelo norte-americano em São Paulo.

PUBLICIDADE        

Único nordestino na sala de reunião, Paulo, que também é publicitário e consultor em diversidade, juntou-se a outros 10 jovens líderes brasileiros que trocaram ideias com Obama. O encontro faz parte das atividades da fundação que leva o nome do ex-presidente e que apoia o surgimento de novos líderes.

Durante a conversa, ele disse que o ex-presidente “falou pouco e escutou bastante”. A intenção de Obama, segundo Paulo, era dialogar com as pessoas atuantes em comunidades. O ex-presidente estava interessado em saber como a Fundação Obama poderia ajudá-los em seus projetos.

Nascido no subúrbio ferroviário de Salvador, o publicitário aproveitou essa oportunidade para apresentar projetos de mobilização e interesses socioeconômicos ao ex-presidente. “Falei um pouco do projeto Vale do Dendê, que visa transformar Salvador na capital criativa do Brasil”, revelou sobre a plataforma digital de atração de investimentos, da qual é cofundador.

Além do Vale do Dendê, o publicitário é cofundador do Instituto Mídia Étnica. Essa organização realiza ações na área de comunicação com o enfoque para as comunidades afro-brasileiras.

Afinidade

O interesse pela tecnologia é característica comum entre o baiano e o ex-presidente. O direcionamento do bate-papo dos dois girou em torno de como as ações inovadoras podem transformar de forma positiva a realidade e a vida dos povos.

Nesse sentido, Paulo destacou que esse público é capaz de utilizar os meios tecnológicos na garantia da liberdade de expressão e empoderamento social.

“O uso da tecnologia é muito importante. Além de ser um entusiasta da área, acredito que o domínio e a utilização desse meio podem transformar a vida das pessoas”, afirmou o empreendedor social.

O cenário midiático também foi discutido na oportunidade. “Falamos sobre diversidade na mídia. Disse que o Brasil precisava de uma apresentadora de televisão da representatividade da Oprah Winfrey ou um canal direcionado para a comunidade afrodescendente”, defendeu o empresário.

Paulo Rogério também aproveitou o encontro com Obama para entregar um kit contendo uma bandeira da Bahia, uma camisa do Olodum, um boné do projeto Vale do Dendê e um encarte com os principais pontos turísticos de Salvador. A ideia é convidá-lo para conhecer a capital baiana. “Ele precisa ter contato com nosso povo. Muito do que conversamos existe na realidade soteropolitana”, justificou Paulo.

Compartilhar