[Exclusivo] Artigo: Jaques Wagner, humilde vitorioso

Por Thimoteo Oliveira

thimoteotxt

Já entrevistei muitos políticos, entre governadores, presidentes, prefeitos, deputados, vereadores e por ai vai. Alguns homens públicos aos olhares da imprensa em geral são temidos e odiados, não digo pelo simples fato da péssima gestão de seu respectivo setor, mas exclusivamente por seu tratamento a repórteres e jornalistas.Com a cara feia, e sem um pingo de paciência, os famosos pesadelos de jornalistas propagam ódio e exaustão ao serem questionados sobre problemas e irregularidades, outros acreditam ter o conhecimento supremo, e observam com nojo o indivíduo responsável em cumprir a pauta do dia. A conhecida pergunta: ” pra onde é ? “sempre chega antecipadamente, se o veículo for por exemplo um jornal de baixa circulação, ou até mesmo para um canal de TV fechada, com pouca abrangência, a clássica resposta da um banho gelado e frustra as expectativas do jornalista, — “Fica pra outra hora, estou atrasado!”.

Obviamente existem comunicadores que agregam uma credibilidade diferenciada, fazem parte de conglomerados da comunicação, que na maioria dos casos pertencem a família do mesmo político entrevistado, estes sim, tem o poder de agendar as sonhadas “exclusivas”, para evidentemente falar sobre os “agradáveis” aspectos de sua gestão.

Contudo, as exceções sempre se manifestam. Durante oito anos de seu governo, Jaques Wagner, produziu pontos positivos e claro, negativos, conflitos com o funcionalismo público foram frequentes nesses últimos quatro anos de administração. Greves da PM e dos professores, como todos sabem, desgastaram a imagem do governador petista, que em 1992, como deputado federal, atacou severamente o governo carlista, que também sofreu paralisações da polícia militar. O Galego, como é conhecido, também marcou pontos positivos, que serviram como propaganda e utilizadas por seu sucessor, Rui Costa em sua campanha. Foram mais de 7.500 km de estradas novas, construção de 5 novos hospitais, 5 novas universidades federais, o parque eólico, a Ferrovia Oeste-Leste e o Porto Sul.

jwcapa
Jaques Wagner sempre se manteve impecável no seu tratamento à imprensa, desde do menor ao maior e mais conhecido representante de comunicação.

Em Salvador, via Expressa, novos viadutos, novas avenidas e a retomada do Sistema Metroviário, obras que são confundidas pelos soteropolitanos que em sua grande maioria, acreditam que a administração municipal foi a grande responsável pelos incríveis feitos, fato tratado com bom humor pelo governador, que não liga para opiniões da oposição. Jaques Wagner sempre se manteve impecável no seu tratamento à imprensa, desde do menor ao maior e mais conhecido representante de comunicação, o chefe do executivo estadual sempre se preocupou em responder com clareza todas as perguntas. Já presenciei em muitas ocasiões, perguntas “pesadas” serem lançadas ao governador, e o mesmo sempre com bom humor e inteligência, respondia o forte questionamento e ainda conseguia arrancar risadas de todos os repórteres presentes. Político vitorioso em 2014, desbancando pela segunda vez consecutiva a oposição, Jaques Wagner lançou um “desconhecido” que ganhou no primeiro turno, contrariando mais uma vez o IBOPE e outros institutos de pesquisa. O Galego deixa o governo da Bahia com uma marca que sempre será lembrada, humildade.

Compartilhar