Jovem suspeito de participar de incêndio a ônibus no bairro do Stiep é preso

Homem foi capturado na localidade da Baixa Fria, no bairro da Boca do Rio, em Salvador, na noite da sexta-feira. Outro suspeito de participar da ação segue foragido.

preso liberdade

Um jovem de 19 anos foi preso, na noite sexta-feira (11), no bairro da Boca do Rio, em Salvador, suspeito de participar do incêndio a um ônibus, ocorrido na noite de quinta-feira (10), nas proximidades do Centro de Convenções da Bahia, no bairro do Stiep. Um adolescente de 15 anos suspeito de envolvimento na ação também foi apreendido na sexta-feira. Um terceiro suspeito segue foragido. As informações foram divulgadas pela Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), na manhã deste sábado (12).

PUBLICIDADE        

De acordo com a SSP, o suspeito preso na noite da sexta-feira, identificado como Fábio Carvalho de Santana, foi localizado por agentes da Operação Gemeos, da Polícia Militar, na localidade conhecida como Baixa Fria. Conforme a SSP, além da queima do ônibus, o jovem é suspeito também de tráfico de drogas na região. Com ele, segundo a secretaria, foram apreendidas pedras de crack e uma pequena quantia em dinheiro. O suspeito foi autuado no Grupo Especial de Repressão a Roubos em Coletivos (Gerrc).

Ainda na noite da sexta-feira, um ônibus foi assaltado e, depois, incendiado na cidade de Alagoinhas, a cerca de 93 km de Salvador. O crime ocorreu no bairro Miguel Velho. Um adolescente de 16 anos suspeito de participar da ação foi preso, na madrugada deste sábado. Conforme a SSP, com ele foram apreendidos o celular da cobradora do coletivo e o dinheiro roubados durante a ação. A polícia realiza rondas na região a procura de outros envolvidos no crime. Até a publicação desta reportagem, nenhum suspeito havia sido preso.

Segundo caso

Outro ônibus foi incendiado por criminosos em Salvador na noite da sexta-feira. O caso ocorreu por volta das 21h, na Rua Bahia, no bairro de Tancredo Neves. Ninguém ficou ferido na ação. Conforme a SSP, este foi o segundo coletivo queimado na capital baiana em menos de 24 horas.

Por conta do incêndio, os rodoviários ficaram com medo e deixam de ir até o final de linha do bairro. Conforme o Sindicato dos Rodoviários, os ônibus que fazem a linha até Tancredo Neves estão indo somente até o Condomínio Arvoredo, no início do bairro. A distância do final de linha até o Arvoredo é de aproximadamente 1 km.

Em nota, a SSP disse que policiais civis do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco) buscam um homem de apelido ‘Devid do Canal’, que teria sido o responsável pelo ataque ao coletivo. Ainda de acordo com o órgão, o Grupamento Aéreo (Graer) da Polícia Militar apoia as diligências na região. As Rondas Especiais (Rondesp) Central reforçam as ações ostensivas. A SSP pede que informações sobre o criminoso sejam repassadas por meio do Disque Denúncia, que atende pelo número (71) 3235-0000.

Caso

O policiamento está reforçado na região da Boca do Rio e Imbuí por conta de um suposto toque de recolher ordenado por criminosos, após o incêndio do ônibus na quinta-feira. Por causa da insegurança, alguns estalebelcimentos dos dois bairros fecharam as portas na sexta-feira. Algumas cidades da região metropolitana e do interior, como Catu e Alagoinhas também estão sob alerta. Um homem chegou a serm homem suspeito de disseminar mensagens de toque de recolher através de uma rede social foi preso, no município de Catu.

A polícia investiga se os casos seriam uma retaliação dos criminosos por conta da morte de Marcelo Batista dos Santos, conhecido como “Marreno”, líder de uma quadrilha de tráfico de drogas que atua em toda a Bahia. O suspeito foi baleado durante uma troca de tiros com policiais militares, na Via Parafuso, na quarta-feira. O motorista e comparsa dele também foi atingido e morreu. Conforme a polícia, o homem preso em Catu, identificado como Zenildo dos Santos Júnior, seria integrante da mesma facção criminosa.

Na tarde da sexta-feira, a SSP realizou uma reunião, no Centro de Operações e Inteligência, para tratar sobre o assunto. Confome a SSP, equipes das unidades especializadas da Polícia Militar (Grupamento Aéreo, Batalhão de Operações Policiais Especiais, Batalhão de Choque, entre outras) e da Polícia Civil (Coordenadoria de Operações Especiais), no total de 600 homens e mulheres, reforçam as ações ostensivas em Salvador, Região Metropolitana e em algumas cidades do interior. O objetivo é reprimir qualquer tipo de toque de recolher para fechamento de estabelecimentos comerciais.

Compartilhar