‘Factóide político’, diz Prates sobre denúncia de Trindade por salários acima do teto municipal

O vereador Léo Prates rebateu nesta quarta-feira (8) a denúncia de Zé Trindade (PSL) de que servidores estão ganhando acima do teto do Município.

“Li a representação do MP, encaminhada pelo vereador Zé Trindade, e quero dizer que isso é factóide politico pra ganhar espaço na mídia em ano eleitoral. O próprio vereador, um dos que tem nível intelectual bom, sabe que não há. O vereador não se refere a salário, mas a vencimento. O teto referido na ação que o vereador entra é de que nenhum servidor pode ganhar mais do que o prefeito, mas é em relação ao salário”, afirma o democrata. A representação de Trindade cita o atual chefe de gabinete, Luiz Antônio Galvão, o secretário particular Luis Gaban, e o assessor especial Júnior Magalhães. Eles receberiam, cada um, R$ 601,27 a mais que o prefeito por mês, totalizando um vencimento global de R$ 18.639,37 mensais.

Prates cita também, como exemplo, o auxílio moradia de deputados estaduais e federais, que se soma ao salário, aumentando o vencimento. “O salário máximo na prefeitura é de R$ 15 mil. Até determinados cargos técnicos tem gratificação, no município; o máximo é de 55%, que não entra no teto constitucional, assim como alimentação. No governo do estado também é assim. Trindade está somando gratificações nos vencimentos para dizer que servidores do município estão ganhando além do teto constitucional. A lei que fala dos vencimentos foi aprovada pela Câmara Municipal. Não é verdade o que ele está falando”, defende o edil.

Compartilhar