Neto evita falar sobre queixa-crime contra Trindade

O prefeito ACM Neto (DEM) evitou falar sobre a queixa-crime que move contra o vereador José Trindade (PSL). O parlamentar acusou o chefe do Palácio Thomé de Souza de “extorsão” no caso do Uber em Salvador.

O prefeito não gostou nada. Além de mandar o líder do governo, vereador Joceval Rodrigues (PPS), responder ao ataque, o democrata ingressou com uma ação na Justiça contra Trindade. Neto acusa Trindade de calúnia (isto é, imputar falsamente fato definido como crime), que prevê pena de prisão de seis meses a dois anos e um multa.

O processo corre na 10º Vara Criminal de Salvador e o juiz Ricardo Augusto Schmitt marcou audiência de conciliação entre os dois para o dia 4 de julho, às 9h. Questionado se irá comparecer à audiência, Neto evitou comentar o assunto. “Quem está conduzindo esse processo é meu advogado e sobre isso só quem fala é ele”, disse, nesta terça-feira (7), durante a inauguração de uma creche no bairro da Mata Escura.

Segundo especialistas ouvidos, se Neto não comparecer, o processo será arquivado. Se Trindade deixar de comparecer, pode se entender que não há interesse de conciliar. Neste caso, a ação segue e o juiz irá impor uma decisão. De acordo com o artigo 520 do Código de Processo Penal (CPP), o vereador e o prefeito serão ouvidos, separadamente, sem a presença dos seus advogados.

fonte:bocaonews

Compartilhar