Desafetos, Neto e Trindade têm encontro marcado em audiência de conciliação

O último embate foi por causa da polêmica do Uber. O vereador acusou o chefe do Palácio Thomé de Souza de "extorsão" no caso do Uber em Salvador.

Desde que o vereador José Trindade (PSL) deixou a base do prefeito ACM Neto (DEM) e migrou para o grupo do governador Rui Costa (PT), os dois entraram em um acirrado embate político. O parlamentar tem feito ataques ao gestor municipal, que evita responder diretamente, mas manda aliados contra-atacar.

acm neto trindade

O último embate foi por causa da polêmica do Uber. O vereador acusou o chefe do Palácio Thomé de Souza de “extorsão” no caso do Uber em Salvador. “O único motivo pelo qual o prefeito ACM Neto é contra o Uber é porque não consegue extorquir, cobrar pedágio da empresa nem entregar o controle a seus amigos e familiares, como no caso da Estação da Lapa”, atacou.

O prefeito não gostou nada. Além de mandar o líder do governo, vereador Joceval Rodrigues (PPS), responder ao ataque, o democrata ingressou com uma ação na Justiça contra Trindade. Neto acusa Trindade de calúnia (isto é, imputar falsamente fato definido como crime), que prevê pena de prisão de seis meses a dois anos e um multa.

O processo corre na 10º Vara Criminal de Salvador e o juiz Ricardo Augusto Schmitt marcou audiência de conciliação entre os dois para o dia 4 de julho, às 9h. Segundo especialistas ouvidos, se Neto não comparecer, o processo será arquivado. Se Trindade deixar de comparecer, pode se entender que não há interesse de conciliar. Neste caso, a ação segue e o juiz irá impor uma decisão. De acordo com o artigo 520 do Código de Processo Penal (CPP), o vereador e o prefeito serão ouvidos, separadamente, sem a presença dos seus advogados.

Réu

Já na ação movida pela bancada petista contra o prefeito ACM Neto, o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) marcou um novo julgamento para o dia 28 de junho. O processo que seria julgado no dia 24 foi adiado a pedido do advogado de democrata.

Os petistas ficaram indignados com a declaração de ACM Neto em entrevista à rádio Metrópole no dia 26 de junho do ano passado. Na entrevista, Neto sugeriu que petistas enriqueceram por causa do dinheiro de corrupção. “O dinheiro público poderia ser investido e foi pelo ralo da corrupção para alimentar campanhas políticas do PT. Agora, a gente começa a entender por que o PT ganhou tantas eleições nos últimos anos no Brasil, além do enriquecimento pessoal de muita gente”, acusou o prefeito, em entrevista à Rádio Metrópole

Em entrevista, o prefeito ironizou a ação. “O medo que estou disso é zero”, disse rindo. Ainda ironizando, Neto afirmou que vai pedir a seu advogado que anexe à sua defesa a denúncia do procurador geral da República, Rodrigo Janot, contra “algumas autoridades do PT, dizendo a mesma coisa que eu disse”.

Fontebocaonews
Compartilhar