Neto é contra o Uber por não conseguir “cobrar pedágio”, diz Trindade

O vereador José Trindade (PSL) diz que “o único motivo pelo qual o prefeito ACM Neto é contra o Uber é porque não consegue extorquir, cobrar pedágio da empresa nem entregar o controle a seus amigos e familiares, como no caso da Estação da Lapa”.

O vereador José Trindade (PSL) diz que “o único motivo pelo qual o prefeito ACM Neto é contra o Uber é porque não consegue extorquir, cobrar pedágio da empresa nem entregar o controle a seus amigos e familiares, como no caso da Estação da Lapa”.

Conforme observa o legislador, trata-se de um sistema que já funciona em mais de 400 cidades de 70 países. No Brasil, capitais como Rio de Janeiro, Curitiba, Recife, Porto Alegre, Goiânia, Belo Horizonte, São Paulo, dentre outras, além de Brasília, já oferecem o serviço aos cidadãos. “É o prefeito que pensa pequeno, por que Salvador tem que viver no atraso?”, questiona Trindade. “Esse prefeito não tem compromisso nenhum com a população; o Uber é mais um serviço de mobilidade para soteropolitanos e turistas e nova possibilidade de trabalho para pais de família, o que é fundamental para Salvador que leva o título de capital campeã do desemprego; portanto, impedir o serviço é ser contra o município e sua população”, considera o vereador.

Desde o início da circulação do Uber, na última quinta-feira (7), a Secretaria de Mobilidade está apreendendo os veículos, alegando clandestinidade. “Isso é extremamente arcaico, típico de uma gestão presa às intransigências da política medieval, o que é normal para um prefeito tão autoritário quanto este neto de ACM”, observa. “Não nega o sangue”, ironiza Trindade.

Compartilhar